VINGANÇA1

 

 

Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Imagine (John Lennon)

Fonte: http://www.frizbay.com/midi.htm

 

Os místicos não devem tolamente tomar partido.

Nas contendas, devem mentalmente observar.

Orar a favor ou contra... não faz sentido...

O karma será pesado para quem se alinhar.

 

Devem, antes, avaliar o que está por trás dos confrontos,

Para poderem ser Servidores2 da Consciência Cósmica.

Mas, se agirem como preconceituosos e tontos,

Estarão a serviço de uma caterva negra e aósmica.

 

Só agindo de forma absolutamente impessoal

E pronunciando-se com ponderação e propriedade,

O relativo bem poderá vencer o relativo mal

E a paz poderá florescer soberana na sociedade.

 

Atenuar ânimos exaltados por sentimentos de vingança

É um dos deveres primordiais de um místico.

No revanchismo não pode haver esperança;

Pois ele é, ao mesmo tempo, subjetivo e sofístico.

 

Mas, fechar-se anestesiadamente em uma torre de marfim

Enquanto bombas explodem e corpos são despedaçados,

É simplesmente ser cúmplice do sofrimento sem-fim

Dos despossuídos, dos perseguidos e dos ultrajados.

 

 

Resignar-se ante um infortúnio e uma injustiça

É, em termos, uma demonstração de sabedoria.

Mas, para que prevaleçam o bem e a justiça

É necessário lutar contra a vigente 'sacanocracia'.

 

E só há um Caminho para executar bem essa Tarefa:

Dia e noite, noite e dia, servir inspiradamente.

Só fará parte da Bem-Aventurada Força-Tarefa

Quem serve com o Coração e com a Mente!

 

Mas, o mais inspirador de todos os Mestres

Está em nosso próprio interior.

Abolidas as cobiças e as vinganças terrestres,

O que é inferior será alquimiado em Superior.

 

 

É isso que precisa ser diariamente ensinado

Por aqueles que alcançaram essa compreensão.

Portanto, enquanto o ser estiver forcado,

Não poderá alcançar a Illuminação.

 

 

Enfim, para ser um Obreiro da Grande Obra,

É necessário ser neutro, prestativo, imparcial,

Sincero e pau-para-toda-e-qualquer-Boa-Obra.

Jamais um disfarçado ou um inocente3 Agente do Mal.

 

______

Notas

1. Este poema foi inspirado no ensaio místico Reflexões Sobre o Terror recentemente divulgado na Web e de autoria do Frater Vicente Velado. O Illuminatus Frater Vicente Velado é Abade da Ordo Svmmvm Bonvm para o Terceiro Mundo e Irmão Leigo da Ordem Rosacruz Verdadeira, Eterna e Invisível. Foi instruído pela Loja da Grande Fraternidade Branca para construir a Interface Web do Rosacrucianismo na Nova Era. Filósofo, pintor místico, músico e experimentador científico o Frater Velado, como é conhecido, foi eremita Beneditino durante oito anos. Um livro digital contendo sua biografia oficial, pela Ordo Svmmvm Bonvm, está disponível online e para download na Biblioteca Digital OS+B:

http://svmmvmbonvm.org/livrariaos+b/

Seu website oficial é o Prophet Jehosu:

http://svmmvmbonvm.org/jehosu/

A Galeria de Arte do Frater Velado, que expõe fotos com cerca de 750 de suas telas, criadas pelo processo de sua invenção denominado Digital-Matrix, pode ser visitada através de Digital-Matrix R+C:

http://digital-matrix.org/

2. Servidores incógnitos.

3. O maior perigo para um místico é funcionar como um inocente útil, isto é, por ingenuidade e/ou ignorância ser usado a serviço de uma causa ou de uma idéia política orquestrada pelos escravos e dirigentes da Grande Loja Negra. É necessário, portanto, ter o máximo de cuidado com as escolhas que são feitas vida afora. Mas, quando se estabelece internamente a convicção concertada de servir ao Bem e à Beleza, o perigo de equívocos ou não existe ou quase não existe. É exatamente com esse quase que todos devem estar permanentemente alertas. Um desses quases é o in limine no qual a dialética não foi aplicada. Ora et Labora!