Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Love Is A Many Splendored Thing
(Paul Francis Webster & Sammy Fain)

Love is nature's way of giving
a reason to be living...

Fonte: http://www.hexadecimal.co.id/MIDIBARAT.htm

 

 

 

 

In principio erat Verbum,

Et Verbum erat apud Ens,

Et Ens Primordialis erat Verbum..

 

 

Energia = massa x (velocidade da luz)2.

Energia... Ora massa... Ora luz.*

Energia... Tempo... Velocidade... Massa... Luz...

 

 

Se a massa é e não é energia,

E se a luz é e não é energia,

O que será a própria a energia?

 

 

Ora, se a luz deriva da energia,

E se a massa deriva da energia,

Antes das três há a não-coisa.

 

 

Não-coisa... Verbum... Energia... Luz... Massa...

Mas, ainda... Antes... Há a inconsciência...

Mas, de onde proveio a inconsciência?

 

 

A inconsciência e a não-coisa derivam do Ser,

– Para o Qual nunca houve um tempo-começo –

Ser que deriva do Ser Gerador do próprio Ser.

 

 

Quid est Ens? Mas, o que é o Ser?

O Ser (Ens) é o Imutável** Ser-Não-Ser.

Ad semper — O Perpétuo (Ens) Ser.

 

 

______

Notas

* Uma onda-partícula eletromagnética...

O tempo...

O espaço...

A dualidade...

 

 

** Se o Ser mudasse — aumentasse ou diminuísse, contraísse ou dilatasse — não seria o perpétuo Ser. O Ser é. Para o ser não há passado, nem poderá haver devir. Se o Ser quisesse ou não quisesse, criasse ou destruísse, amasse ou odiasse, não seria o Ser, pois estaria querendo e não querendo, criando e extinguindo, amando e abominando o próprio Ser — que são meras categorias (humanas) concebidas pelos seres deste Plano. E se o Ser fosse ou viesse a ser, também não poderia ser o Ser, pois isto implicaria em uma diferenciação no Ser, isto é incremento ou decremento — qualidades entrópicas daquilo que é imperfeito e transitório. Para o Ser, então, nunca houve começo nem poderá haver um vir-a-ser. Por isso, tudo é um — o Ens Primordialis e o Non-Ens — tudo é Ens-Non-Ens (Ser-Não-Ser) que é o próprio Ens (Ser). Na realidade, tudo gira em torno de um trinômio:

(In)Consciência-Consciência-(Auto)Consciência.

Minhas unhas crescem, mas eu não percebo; meu cabelo cresce, mas eu não percebo; meu sangue circula, mas eu não percebo; durmo, e não paro de respirar.

Mas, então, como o Ser pode derivar do Ser e gerar o próprio Ser, sendo Ele próprio o Ser? Este é o Supremus Paradoxon: pelo e no movimento ininterrupto e imóvel o Ser existe imóvel e movente no movimento que move e não move e que gera e não gera o Ser imóvel e movente — gerado e não-gerado no aparente e ilusório tempo que é um tempo dimensional e no tempo cósmico que não é tempo, ou seja é um tempo adimensional.

Entre outras e tantas ilusões, isto produz nesta dimensão a fantasia da ganância, a fantasia da individualidade, a fantasia da multiplicidade, a fantasia do Big Bang e as fantasias da dilatação e da contração do tempo, da dilatação e da contração do espaço e do aumento e da diminuição da massa em função da velocidade.

In principio erat Verbum Dimissum et Inenarrabile significa o princípio de cada Ciclo Cósmico ou de cada Era Cósmica, pois para o Ens Primordialis nunca houve começo, contração, dilatação, devoração, perda, acrésimo, entropia, neguentropia, Big Bang, Big Crunch etc., pois esses conceitos-categorias são dimensionais e o Ser é adimensional, sendo, portanto, um erro grosseiro tentar dimensionar o que não pode ser dimensível. Reconheço, assim, que, de certa forma, é um atrevimento de minha parte discutir essa matéria, mas neste Terceiro Milênio o fideísmo inautêntico (doutrina teológica que, desprezando a razão, preconiza a existência de verdades absolutas fundamentadas na revelação e na fé) precisa dar lugar à razão, ponte irredutível e insubstituível para a Transrazão. A animação da espiral que encerra o poema tenta figurar poética e pctoricamente essa concepção metafísica. Só na Dialética Mística do Silêncio Iniciático...

 

CONVITES

 

O tema desenvolvido neste poema está discutido em profundidade no ensaio EXPANSÃO (Segundo Estudo Sobre a 'Spira Legis') de autoria do S+B Illuminatus Frater Velado, Irmão Leigo da Ordem Rosacruz e Iniciado do Sétimo Grau do Faraó, e que pode ser lido no endereço:

http://svmmvmbonvm.org/spiralegis2.htm

Visite também a Página dos Discursos dos Iluminados de Khem (a Escola de Mistérios de Akhenaton) no endereço:

http://svmmvmbonvm.org/aum_muh.html

 

 

 

Websites Consultados

http://www.aip.de/~lie/GEOMETRIE/GeomZeit.html

http://astronomy.swin.edu.au/~pbourke/fractals/colourattract/