QUANDO...

Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Mandy (Scott English and Richard Kerr)

Fonte: http://www.tigergraphic.com/mididen/pop.html

 

Quando...

 

Quando eu estava do lado de lá,

Fiquei triste quando soube que eu vinha para cá.

Quando eu cheguei do lado de cá,

Senti muitas saudades do lado de lá.

 

Quando eu tinha 23 anos,

Fui iniciado na Ordem Rosacruz.

Comecei, então, a compreender a minha Cruz...

Hoje tenho cinqüenta e nove anos...

 

 

 

Os Nove Ciclos estão quase completos,

Mas a Peregrinação não tem fim.

E nesse Caminhar sem-fim

Conheci estrelas e morei sob muitos tetos!

 

 

 

Três coisas aprendi muito bem:

A ser humilde, a ter paciência

E a ser um obrador da Consciência

— Sempre esparramando o Bem.

 

 

Ninguém deve se desesperar.

Para tudo há um determinado tempo

— No tempo que não é tempo.

Tempo de andarilhar... Tempo de a Lei Operar...

 

 

Mas, será que iremos nos envergonhar

Por não termos cumprido nosso papel?

Não. Aquele que ao seu Coração for fiel

Em sua Grande Iniciação irá festejar.

 

 

Paz Profunda a todos os corações solitários

Dilacerados entre dores e ilusões.

Lutem irmãos... Sejam campeões.

A LLuz está em todos os Santuários.

 

 

Oh! Benditos Irmãos das Estrelas...

Preparação... Purificação... Illuminação... Transfiguração...

Bendição... Bendição... Bendição... Bendição...

Oh! Benditos Irmãos das Estrelas...

 

Quando?

 

 

 

 

 

Nota: Este poema é dedicado à Humanidade. Os detentores dos direitos autorais das imagens que reproduzi e das quais preparei as animações são co-autores neste poema-exortação. Somos um.