Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Turma do Funil
(Mirabeau, Miltom de Oliveira e Urgel de Castro)

Fonte: http://wap.icarusindie.com:2004/index.php?sortby=
title&dir=midi-library%2FMidi+Emporium%2FMidis+Mpb%2F

 

 

o Congresso Nacional (de Maracutsil)

A moda agora é ficar dando muxoxo.

Alguém já viu coisa mais infantil?!

 

 

Pudera! Aquilo lá é muito chato

E também1 é pra lá de 

Mas é o povo que vai pagando o pato.

 

 

Bradou um político: — Ameaçou a minha família

A coisa vai ficar muito preta.

— Eu não me chamo Hemíllya

E muito menos Luitzetta!

 

 

Essas são as 'Ex-sselênssias' de Maracutsil.

Brigam, muxoxam, mas levam a vida no bem-bão

O povão? Povão? Que se exploda o povão!2

 

 

______

Notinhas

1. Em lugar de também pensei em usar outrossim, mas achei meio esquisito. Parece coisa de 'Ex-sselênssia. E não sei porquê outrossim me lembra Octopussy. De qualquer maneira, os 2s de Congresso (Nacional Maracutsileiro) + os 2s de outrossim + os (4 + 1)s de 'Ex-sselênssias' não poderiam produzir um final alvissareiro. 2s de novo; é muito ss.

Só  !

Nessas [mais (2 + 1)s] horas sinto um pouco de saudades do Lalau e do Barão. E por falar no Barão (de Itararé) vou recordar uma de suas pérolas: O voto deve ser rigorosamente secreto. Só assim, afinal, o eleitor não terá vergonha de votar no seu candidato. Mas, a verdade é que senso de humor é o sentimento que faz você rir daquilo que o deixaria louco de raiva se acontecesse com você. Essa segunda pérola também é do Barão.

2. De vez em quando – muito lá de vez em quando, mais para de quando em vez ou de quando em quando – Suas 'Ex-sselênssias' maracutsileiras, depois de fazerem um mise-en-plis e de pintarem os bigodes, fazem uma tremenda mise-en-scène para enganar os maracutsilenses. (Uns dizem que a palavra correta é maracutsileiro. Como eu não sei qual é a forma correta uso as duas.). Só que essa coisa de enganar os maracutsilenses já não está colando mais. Brigar no Plenário da Câmara Federal ou do Senado maracutsileiros para aparecer na telinha maracutsileira já era! Ninguém entra mais nessa. Nem como teatro de bulevar ou de fantoches ou de revista essas encenações prestam mais! Na verdade, nunca prestaram. Agora, muxoxo? Que moda! Eu muxoxo, tu muxoxas, ele muxoxa, nós muxoxamos, vós muxoxais, eles muxoxam. Que verbo mais danado! E está dicionarizado! São muitos 'xises'! Por falar nessas superficialidades, comenta-se à bocas gigantescas, enormes, grandes, pequenas e diminutas que as do Congresso Democrático Nacional de Maracutsil (ainda bem que é  ) vão dar em pizza. Um sacanocrata chorão já foi perdoado. Um milhão para subornar uma parlamentar? Ora bolas! Ou, ora pizzas. Um milhão não é nada; é só juntar 100 000 000 de centavos que dá um milhão. Simples. O Tio Patinhas começou assim! Até evitava grasnar para economizar! Muito simples. Simplíssimo. (Eu acho que vi um patinho! Vi sim!). E a grana para peitar a parlamentar que denunciou a maracutsilice ia ser paga em Roiais*, não em dólares. Então, não é tão grave assim, pois, em um certo sentido, alguma economia está sendo feita.

Mas o problema-abichorno não é esse, mas, sim, o que acontecerá depois da(s) pizza(s). É isso o que precisa ser pensado e denunciado, não se a pizza é brotinho, média ou família. Da mesma forma que violência gera violência, pizza(s) gera(m) pizza(s). Mas essas pizzas maracutsilenses são pizzas que horripilam, pois são assadas com o trabalhado, lavrado, suado e minguado dinheiro do povão. Isso é uma grande sacanagem. Enfim, esse negócio de pato pra lá e pizza pra cá ainda vai acabar dando uma baita 'tucupizza'! Ou uma pizza de pato! Pior: uma 'tucupizza' de pato! É o velho e insalubre esprit de corps pizza-pato.

* Moeda de Maracutsil equivalente a aproximadamente U$ 2,30 no Dia de Finados de 2005. Abaixo uma 'tucupizza' de pato. O pato é virtual.

 

 

Dr. Marlé Brancar
O Poderoso Comilão**

 

** A ilustração O Poderoso Comilão é de autoria de Oswaldo Pavanelli, que eu editei e usei para fazer esta animação para 'maracutsilar' os políticos de Maracutsil, em particular o bom homem e Ex.mo Sr. (só que troca muito de Partido) Vice-presidente da República Federativa e Democrática de Maracutsil, Dr. Marlé Brancar. Mas não é que o Dr. Marlé Brancar se parece (apenas fisicamente, claro) com o Poderoso Comilão?

Fonte de O Poderoso Comilão:

http://www2.uol.com.br/gula/reportagens/142_poderoso_comilao.shtml