MIAU
(Conceitos aparentemente desconexos)

 

Será que botaram pó-de-mico na minha pata?

 

 

Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Miau
Fonte: http://stubentiger.dyndns.org/sound/

 

Um metafísico é um pesquisador em um quarto escuro, iluminado apenas pelas luzes da razão e da transrazão, procurando por um gato preto que talvez possa estar lá; um teólogo não é um pesquisador no sentido metafísico puro; por isso acha que já achou o gato há muito tempo. (Originalmente essa frase era muito diferente. A bem do Bem tive que corrigi-la e depurá-la. O autor da frase original que me desculpe, mas como estava, smj, é que não podia ficar.).

 

 

Precisamos acabar com esse negócio

De meter Deus em nossos imbróglios.

Viver na roubalheira e no ócio

Kapuft werzilng pum grobicszmibróglios!1

 

 

Quando iremos crescer um pouquinho

E parar de acreditar em estorinhas?

O tempo pode passar depressa ou devagarinho,

Mas não espera por nossas ilusõe(s)zinhas.

 

 

Se existe Deus ou se não existe Deus

Isso não importa absolutamente nada,

Sejamos religiosos, materialistas ou ateus.

 

 

Então, o que realmente tem importância?

Importa tão-somente a Caminhada.

Com dignidade, obstinação e constância.

 

 

Ainda pego essa borbonhoca!

 

_____

Nota

1. Tenho certeza de que você – tanto quanto eu que a escrevi – não conseguiu ler essa frase de prima. Mas, como eu não encontrei uma rima para imbróglios, inventei isso, que significa: Toma vergonha na fuça seu bosta. Também pode ser: Toma vergonha na fuça Seu Bosta. Vê se pára de meter a mão na coisa pública! Agora, pum (terceira palavra da frase maluca) todo mundo sabe o que é. Mas, como não descarto a idéia de que um marciano possa um dia vir a ler essas bobagens que eu escrevo, me vejo compelido a definir o que é um pum. Em Marte o processo metabólico é completamente diferente. Em Brasília, também! Pum, tecnicamente e segundo o Houaiss, é: ventosidade anal, ruidosa ou não [fedorenta ou não, seca ou molhada, et cetera e tal]; peido, traque <soltar um pum[zinho]>. Dona Carmen dizia que eram bufos. Verdade, verdade, eu prefiro a minha definição. Puns prá valer eram as ventosidades anais rá-tá-tás ilimitadas e elevadas a 1 trilhão que soltava a Dona Clereuzzinna Piedade do Ó quando comia uma feijoada. Sem comer também era um verdadeiro horror! Mas, ligeiramente menos! Um tiquinho!

 

Amostra de pum
colhida dentro
dos conformes
e da mais alta
tecnologia
em um acesso
rá-tá-tá da Ózinha.
O engraçado é que
ela soltava e piscava!

 

Se Dona Clereuzzinna Piedade do Ó (para os íntimos, Ózinha) morasse em Paquetá, nesse dias especiais 'feijoativos' não precisaria nem de barca: bastaria ligar o seu pumpopa retal que de Copacabana a Paquetá chegaria lá em 38 (trinta e sete) segundos. Não errei não. Poderiam ser 37, como poderiam ser 38! Maré, vento, pressão etc. interferem nessa produção gaseiforme. No Titicaca – o lago navegável localizado em maior altitude no Planeta – a Ózinha (e antes que eu me esqueça, devo dizer que ela muito amiga da Tia Zulmira e do Altamirando) percorreria essa mesma distância em um tempo muito... Menor ou maior? Maior ou menor, eis a questão! Abaixo, a Ózinha disfarçando, piscando e 'ratatando' (prá valer).

 

A simpática Ózinha

 

Bem, bem, bem. Em se tratando de segundos, isso faz uma baita diferença, porque trinta e sete segundos são trinta e sete segundos e não trinta e oito segundos, e trinta e oito segundos são trinta e oito segundos e não trinta e sete segundos! E isso faz uma baita diferença mesmo. Em um segundo alguém nasce e alguém morre. Física e espiritualmente. Para quem quiser entender o teor dessa especulação metafísica experimente tentar não existir por apenas um segundo!!! Quem conseguir realizar essa proeza talvez descubra que um segundo é igualzinho à eternidade. E — quem sabe! — descubra também que em seu interior há um Mestre-Deus-Eterno aguardando para ser reconhecido, acordado e assumido, para que, no tempo que não é tempo, possa Ele avocar, de fato, o nosso Eu. Essas últimas linhas podem não ter nada a ver com puns (será?), mas têm tudo a ver com as safadezas-sem-luz e o festival de 'bestopeidarias' que está assolando o nosso País. Se o Stanislaw Ponte Preta (Sérgio Marcus Rangel Porto — 11 de Janeiro de 1923 - 30 de Setembro de 1968) ainda estivesse por aqui, já teria escrito o FEBEAPÁ2005. Eu, certamente, sugeriria a ele que escrevesse um FEBEAPUM BRASILIENSE!

Concluindo, eu desafio que você descubra, nesse quadrado aí embaixo, quantas cores aparecem e quantas vezes ele pisca em um segundo. Miau.

 

 



Eu quero dormir, mas não posso.
Se eu dormir estou ferrado;
Vão botar a culpa em mim!!!
Mas... eu quero tudo que é vosso;
E o jeito é ficar acordado
Na base do pirimpimpim.

 

 

Por que eu vou trabalhar se os otários trabalham prá mim?

 

Websites Consultados

http://ateus.net/

http://www.gifs.net/animate/giflist.htm

http://www.cybergata.com/anim.htm

http://www.puppetartists.com/Sculptures_htm/Old%20Woman.htm