ALGUNS PENSAMENTOS DE
ÉLIPHAS LÈVY

(595 kb)

 

Éliphas Lèvy

 

 

Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Exodus
Fonte:
http://www.momentus.com.br/sound/mid/sound.html

 

INTRODUÇÃO

Esta modesta contribuição é composta de uma pequena série de pensamentos do famoso místico e ocultista Alphonse Louis Constant – Éliphas Lèvy (1810-1875) que, segundo Rosabis Camaysar, foi o primeiro a, atrevida e ousadamente, evocar a ciência e os mistérios da Antigüidade, a escavar as profundezas do Santuário e a trazer daí, à luz do dia, as figuras do simbolismo hierático, e lançar um raio de luz... em pleno fanatismo do nosso século [século XIX]. Dar movimento e vida a esse imenso ossuário do passado... é ter grande ousadia e um verbo poderoso. Enfim, em uma parte do seu Dogma, disse Lèvy: A Magia é a Ciência tradicional dos segredos da Natureza que nos vem dos Magos.

Em vista de tudo isso, este texto apresentará alguns fragmentos da obra Dogma e Ritual da Alta Magia, Magia abandonada por Éliphas no final da vida por ter descoberto ser ela também (talvez maiormente mais do que também) uma ilusão impeditiva para a realização da plena Liberdade no seio da Consciência Cósmica. Não sei; mas imagino que Lèvy tenha concluído que para desvendar os segredos da Natureza e para construir seu Mestre Interior (que ele tanto perseguiu) a Magia seja desnecessária. Penso, contudo, que Éliphas não tenha renegado o que escreveu; apenas reorientou sua vida mística e iniciática. Este fato também aconteceu com o eminente místico espanhol Gérard Anaclet Vincent Eucausse – Papus (1865-1916) – para tristeza dos que o admiravam como ocultista. No final de nossas vidas as cortinas parecem se abrir... Sem qualquer Magia. Ou com a única Magia realmente efetiva: a Magia Intracardíaca do Amor Incondicional.

Informo, enfim, que para poder elaborar este trabalho neste modelo tive que fazer algumas edições no pensamento de Éliphas, sem, contudo, modificar nenhuma de suas reflexões. Isso, definitivamente, não teria qualquer cabimento. Foram também acrescentadas algumas animações, pois acredito que as imagens facilitam muito a compreensão de determinados princípios místicos. Elas, obviamente, não constam da obra do Autor, bem como têm movimentos específicos que não podem ser apresentados em um texto desta natureza. Ao final, farei um único comentário sobre um tema que considero primordial. Mas, não posso deixar de avisar agora: este trabalho está absolutamente incompleto e, em alguns pontos, mais confunde do que esclarece. O melhor mesmo é debruçar-se sobre as obras de Éliphas e tentar compreendê-las. Por isso, coalhei este ensaio de figuas e de animações, algumas delas produzidas a partir da obra em estudo. Talvez elas ajudem um pouco. Espero.

 

 

 

 

  A ciência e a religião... estão em vésperas de se unirem e de se abraçarem para sempre.

  A harmonia resulta da analogia dos contrários.

   A verdade está acima de todas as opiniões e de todas os partidos.

  Criar a si próprio... é a sublime vocação do homem restabelecido em todos os seus direitos pelo batismo no Espírito...

   Todo espírito que divide o Cristo é um espírito do Anticristo.

   Os paradoxos opostos se refutam uns pelos outros, e, semelhantes às oscilações de um pêndulo, que tendem sempre, restringindo-se, para o centro de gravidade, os movimentos contrários são apenas aparentes, e as verdadeiras tendências da Humanidade se acham sempre na linha reta do progresso.

 

 

  O Mundo não pode se fixar nem na escravidão nem na anarquia.

  Só é duradouro o que é fundado na própria natureza das coisas.

   Todo poder que não dá razão de si mesmo e que pesa sobre as liberdades, sem lhes dar garantias, é somente um poder cego e trnsitório; a autoridade verdadeira e duradoura é a que se apóia na liberdade, dando-lhe, ao mesmo tempo, uma regra e um freio.

   Toda fé que não ilumina e não engrandece a razão e todo dogma que nega a vida na inteligência e a espontaneidade do livre arbítrio constituem uma superstição; a verdadeira religião é a que se prova pela inteligência e se justifica pela razão...

   Sobre homens cuja alma é livre, a tirania material é impraticável; também a liberdade exterior das multidões e dos homens que interiormente estão sujeitos a preconceitos e a vícios, não passa de uma multiplicação e uma complicação da tirania.

 ... no domínio da inteligência governada pelo Verbo, nada se perde...

 

Grande Selo de Salomão ou
Triângulo Duplo de Salomão

 

 O homem que é escravo das suas paixões ou dos preconceitos deste Mundo não poderá ser um Iniciado; ele nunca se elevará enquanto não se reformar; não poderá, pois, ser um Adepto, porque a palavra 'Adepto' significa aquele que se elevou por sua vontade e por suas obras.

  O Mago dispõe de uma força que conhece; o feiticeiro procura abusar do que ignora... O diabo se dá ao Mago; o feiticeiro se dá ao diabo... O Mago é o soberano pontífice da Natureza; o feiticeiro não passa de um profanador... O feiticeiro é para o Mago o que o supersticioso e o fanático são para o homem verdadeiramente religioso.

 Para alcançar o Sanctum Regnum... quatro coisas são indispensáveis: uma inteligência esclarecida pelo estudo, uma audácia que nada faz parar, uma vontade que nada quebra e uma discrição que nada pode corromper ou inebriar... É preciso Saber para Ousar; É preciso Ousar para Querer; É preciso Querer para ter o Império; e para Reinar é preciso Calar.

 

 

 Um covarde é aquele que negligencia o cuidado da sua dignidade moral para obedecer cegamente aos instintos da natureza.

 A última vitória que o homem pode obter sobre a morte é triunfar do gosto da vida, não pelo desespero, mas por uma esperança maior... por tudo que é belo, honesto... Aprender a vencer-se é, pois, aprender a viver... Todo homem que está pronto para morrer... é imortal na sua alma. Todas as Iniciações Antigas tinham por fim achar ou formar tais homens.

 No Caminho das Altas Ciências não convém empenhar-se temerariamente, mas, uma vez em Caminho, é preciso chegar ou perecer. Duvidar é enlouquecer; parar é cair; e voltar para trás é precipitar-se em um abismo.

  Um está em Um... Tudo está em tudo.

 

 

  O homem primitivo é andrógino.

 

 

  O Mago eleva uma das mãos para o Céu e abaixa a outra para a Terra e diz: Lá em cima a Imensidade! Cá em baixo a Imensidade ainda! A Imensidade é igual à Imensidade. Isto é verídico tanto nas coisas visíveis quanto nas coisas invisíveis.

 

 

  O Ternário é o Dogma Universal. Em magia, princípio, realização, adaptação; em alquimia, AZOTh, incorporação, transmutação; em Teologia, Deus, encarnação, redenção; na alma humana, pensamento, amor, ação; na família, pai, mãe, filho. O Ternário é o fim e a expressão suprema do Amor... [Se você quiser saber mais sobre a Lei do Triângulo, visite:

http://svmmvmbonvm.org/leitri.htmS ]

 

 

  O Axioma Incomunicável está contido cabalisticamente nas quatro letras do Tetragrama, nas letras da palavra AZOTh e INRI, escritas cabalisticamente, e no Monograma do Cristo.

 

 

 

  O movimento absoluto da vida é o resultado perpétuo de duas tendências contrárias que nunca serão opostas.

  O Pentagrama exprime a dominação do Espírito sobre os elementos... O Pentagrama é o signo do Microcosmo... É pelo Pentagrama que se medem as proporções exatas do grande e único Athanor necessário à confecção da Pedra Filosofal e à realização da Grande Obra... a própria Quintessência é figurada pelo signo do Pentagrama.

 

 

  Existe uma Lei. O vulgo a ignora; o Iniciado serve-se Dela.

  O Setenário (a grande completa Unidade Mágica) é o Número Sagrado em todas as teogonias e em todos os símbolos, porque é composto do Ternário e do Quaternário.

 

 

 

  O Iniciado reina sobre a superstição e só ele pode caminhar nas trevas, apoiado, como está, no seu Bastão, envolto no seu Manto e iluminado pela sua Lâmpada... O Iniciado não tem esperanças duvidosas nem temores absurdos, porque não tem crenças desarrazoadas... Para o Iniciado, Ousar é Poder.

  A Grande Obra é, antes de tudo, a criação do homem por si mesmo, isto é, a conquista plena e total que faz das suas faculdades e do seu futuro; é, principalmente, a emancipação perfeita da sua vontade...

  ... o celibato forçado, o ascetismo, o ódio, a ambição, o amor repelido... tantos são os princípíos geradores de formas e influências infernais.

  ... nada é tão cruel quanto os amores depravados.

  Agimos pela imaginação sobre as imaginações dos outros, pelo nosso Corpo Sideral [Astral] sobre os deles e pelos nossos órgãos sobre os seus órgãos.

  Magia Negra: O diabo, em Magia Negra, é o grande agente mágico empregado para o mal por uma vontade perversa. É uma corrente ódica ou magnética formada por uma cadeia de vontades perversas... que o Evangelho chama de legião...

  A harmonia está no equilíbrio e o equilíbrio subsiste pela analogia dos contrários.

 

 

  A razão e a fé se excluem mutuamente pelas suas naturezas e se unem pela analogia. A analogia é o único mediador possível entre o visível e o invisível; ela é a chave de todos os segredos da Natureza e a única razão de ser de todas as revelações. Para o ignorante, a hipótese é a afirmação absoluta e a afirmação absoluta é a hipótese.

 

Baphomet

 

Baphomet = Bode Andrógino de Mendés
Baphomet = Bode do Sabbath
Baphomet = FOGO ÂKÂSHA PURO (H. P. Blavatsky)
Baphomet = Primeira Matéria do Magnum Opus dos Criadores e Construtores (H. P. Blavatsky)
Baphe + Metis = Batismo de Sabedoria (Joseph Von Hammer-Pürgstall)
Baphe + Metios = Tintura de Sabedoria (Raspe)
Baphomet = Abufihamat = Pai ou Cabeça do Entendimento (Idries Shah)
Baphomet = Figura panteística e mágica do ABSOLUTO [Não do PRIMEIRO UM]. O facho colocado entre os dois chifres representa a inteligência equilibrante do ternário; a cabeça de bode, cabeça sintética, que reúne alguns caracteres do cão, do touro e do burro, representa a responsabilidade só da matéria e a expiação, nos corpos, dos 'pecados' corporais. As mãos são humanas para mostrar a santidade do trabalho; fazem o sinal do esoterismo em cima e em baixo, para recomendar o Mistério aos Iniciados e mostram dois crescentes lunares, um BRANCO que está em cima, o outro preto que está em baixo, para explicar as relações do BEM e do mal, da Misericórdia e da Justiça. A parte baixa do corpo está coberta, imagem dos mistérios da geração universal, expressa somente pelo símbolo do CADUCEU. O ventre do bode é escamado e deve ser colorido em verde; o semicírculo que está em cima deve ser azul; as pernas, que sobem até o peito, devem ser de diversas cores. O bode tem peito de mulher e, assim, só traz da humanidade os sinais da maternidade e do trabalho, isto é, os sinais redentores. Na sua fronte e em baixo do facho, vemos o signo do Microcosmo ou PENTAGRAMA DE PONTA PARA CIMA, símbolo da inteligência humana, que, colocado assim, em baixo do facho, faz da chama deste uma imagem da REVELAÇÃO DIVINA. Este PANTEUS deve ter por assento um cubo, e para estrado quer uma bola só, quer uma bola e um escabelo triangular. (Éliphas Lèvi)
Baphomet = .'. SOLVE ET COAGULA .'. (Éliphas Lèvi)
Baphomet = TEMOHPAB (anagrama de Baphomet)
TEMOHPAB = TEM OHP AB (KaBaLa)
TEM OHP AB = TEMpli Omnium Hominum Pacis ABbas. O PAI DO TEMPLO — PAZ UNIVERSAL DOS HOMENS.
(Éliphas Lèvi)
BaPhOMet = ShVPhYa = ShOPhYa (por AThBaSh)
ShOPhYa = SheMAH-IM
ShOPhYa = (300 + 6 + 80 + 10) = 396
SheMAH-IM = (300 + 40 + 1 + 5 + 10 + 40) = 396
(300 + 6 + 80 + 10) = (300 + 40 + 1 + 5 + 10 + 40) = 396
Baphomet = Luz da Gnose (Aleister Crowley)
Baphomet = BAFOMIThR (Aleister Crowley)
Baphomet = .'. ORA ET LABORA .'. SOLVE ET COAGULA .'.
Lege, Lege, Relege, Ora, Labora et Invenies Servire Deo, Libertas.

 

  Uma coisa não é justa porque Deus a quer; Deus a quer porque é justa.

  Se vosso espírito está perfeitamente livre de todo preconceito, de toda superstição e de toda incredulidade, mandareis nos espíritos. O Magista deve ser impassível, sóbrio, casto, desinteressado, impenetrável e inacessível a toda espécie de preconceitos ou terror.

  ABRACADABRA = Triângulo Mágico dos teósofos pagãos. (No original de Éliphas este Triângulo não aparece colorido.).

O A que dá início ao ABRACADABRA é repetido 5 (cinco) vezes e reproduzido 30 (trinta) vezes no Triângulo Mágico, o que dá, segundo Lèvy, os elementos e os números das figuras abaixo:

 

 

  O Tridente de Paracelso é um pentáculo que exprime o resumo do Ternário na Unidade, e completa, assim, o Quaternário Sagrado. Paracelso atribuía a esta Figura todas as virtudes que os cabalistas hebreus atribuem ao nome Jeová [IHVH] e às propriedades taumatúrgicas do Abracadabra dos Hierofantes de Alexandria.

 

 

  Instrumentos Mágicos. (Consultar o Dogma).

 

 

  O Mago deve viver em retiro e dificilmente permitir que se aproximem dele. Isto está representado pela Nona Chave do Tarô (Tarot), em que o Iniciado é figurado por um Eremita inteiramente envolto em seu manto.

 

 

   A morte é um fantasma da ignorância – ela não existe. Tudo é vivo em a Natureza; e é porque tudo é vivo que tudo se move e muda incessantemente de formas.

  As palavras hebraicas abaixo foram consideradas por todos os cabalistas como sendo as Chaves da transformação mágica.

 

 

  Círculo Goético das Evocações Negras e dos Pactos. (Consultar o Dogma).

 

 

O homem que chegou a nada desejar e a nada temer é o Senhor de tudo. O Iniciado Perfeito vê a verdade [relativa] na Luz, ressente uma impressão que manifesta o homem inteiro, atravessa os corações com seu olhar e até deve fingir ignorar, para desarmar assim o medo ou o ódio dos malvados – que conhece bastante.

   O homem é filho de suas obras; é o que quer ser. É a imagem do Deus que faz para si. É a realização do seu ideal. Se o seu ideal não tem base, todo o edifício da sua imortalidade se desmoronará. (Grifo meu).

   O Ser é o Ser.

 

__________

 

COMENTÁRIO  ÚNICO

 

 

Não posso discordar de Éliphas quando afirma que a harmonia resulta da analogia dos contrários. É exatamente a nossa equivocada tendência em ver no outro um rival ou um potencial inimigo, que produz, de início, uma dissensão, e, finalmente, uma guerra. Aprenderemos, nem que seja pela mais suprema dor, que estamos no mesmo Universo e na mesma Espiral ascensional rumo à consciência da Consciência. Os Níveis ou Planos são certamente distintos, nossas Origens são inquestionavelmente diversas e nossos Corações anseiam por coisas diferentes, mas a Espiral é a mesma. Assim, aquele que se nos afigura como concorrente ou mesmo como inimigo é, na verdade, nosso melhor amigo, pois é ele que, consciente ou inconscientemente – tanto para ele, quanto para nós – nos faz crescer e aprender as lições que não poderíamos aprender sozinhos. Deixo, finalmente, um pensamento elementar e aparentemente infantil para reflexão: imagine-se você, caro leitor, sozinho no Universo. Só isso.

 

 

Obra de Referência:

LÈVY, Éliphas. Dogma e ritual da alta magia. São Paulo: Pensamento, s. d.

 

 

Websites Consultados

http://www.sundog.clara.co.uk/rainbows/primcol.htm

http://www.hermanubis.com.br/Artigos/EN/ARENTheMysteriesOfNature.htm

http://128.121.163.149/white_book4.htm

http://www.searchtuna.com/ftlive2/3341.html