Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Nevertheless
(Bert Kalmar & Harry Ruby)

Fonte: http://www.artemotore.com/midi/midi26501.htm

... Maybe I'm right, maybe I'm wrong,
Maybe I'm weak, maybe I'm strong.
But nevertheless...

 

 

Todos os místicos precisam ter muito cuidado

Com as informações que lêem, ouvem e recebem.

Os verdadeiros sábios sabem que nada sabem!

 

 

Um conceito mal formulado

Poderá causar um estrago permanente.

E quem nele crê poderá acabar ficando demente!

 

 

Nas sendas do esoterismo

Há de tudo e mais um pouco.

E quem não difere a Lei do charlatanismo,

Repito: pode acabar ficando louco!

 

 

Pior são as  

Geralmente bem elaboradas

Que enfeitam as fantasias

 

 

 

 

 

 

As Pedras no Caminho

Frater Vicente Velado (*)

Existem pessoas que além de nada produzirem se dedicam com extremo afinco a tentar prejudicar os que tentam construir alguma coisa, por mais simples que seja, por mais banal que possa ser. Essas pessoas são as pedras que as Leis Cósmicas, governantes da evolução, colocam no caminho de todos, para que, diante delas, possam se manifestar, exteriorizando reações causativas.

Para uns, as pedras devem ser simplesmente transpostas, sem que se dê maior importância a elas; para outros, são motivos de grande sofrimento, de choros e lamentações; e para outros, ainda, são obstáculos que devem ser destruídos, pulverizados e esquecidos.

Essas pedras, sejam elas pessoas, situações ou condições – como deficiências físicas, que tantas e tantas vezes têm motivado seus portadores a se manifestarem como artistas, na pintura (pintando com os pés ou com a boca), na literatura de ficção e na poesia (ditando o que não podem escrever, por paralisia ou outro motivo) e na música (compondo e tocando mesmo sendo surdos, como Beethoven) – são as originadoras da iniciação.

Portanto, não as maldiga e nem as odeie – nem mesmo as discrimine como más no rol dos eventos do mundo fenomênico – pois essas pedras são a causa da evolução que você possa vir a ter nesta vida terrestre. Neste mundo, uns são as pedras dos outros e, assim, de alguma forma, todos se ajudam mutuamente, mesmo que não saibam disso.

Citarei um pequeno exemplo, tirado da minha própria vida: quando me tornei eremita meu dinheiro era escasso e sofrido, pois tinha de trabalhar exclusivamente pela Net, em um país imerso na depressão econômica e ante uma série de condições adversas. Eu usava um 486DX com OS/2 Warp 3.0, onde estava montado meu IDE, ou seja, meu ambiente de desenvolvimento de softwares. Certo dia, esbarrando com um problema de clipboard, que me atrapalhava o trabalho no compilador, recorri ao Suporte da IBM por telefone e me encaminharam para a Lista de Discussão OS/2 Brasil.

Naquela Lista o meu problema foi resolvido, pois vários de seus membros eram feras da programação, principalmente no Pascal. Com isso pude ganhar o dinheirinho e passar para o OS/2 Warp 4.0, muito moderno, que tinha até comandos por voz. Eu podia falar para aquele computador e ele obedecia. Vivendo sob voto de silêncio, em estrita observância da Regra de São Bento, eu não falava com pessoas e aquilo me empolgou. Achei de exteriorizar minha empolgação produzindo uma pequena imagem, de apenas 3,7K, com os dizeres "Sou Um Micreiro Feliz: Uso o OS/2 Warp 4.0". Atachei aquela tirazinha colorida (chama-se merlin.jpg) em uma mensagem e a mandei para a Lista na primeira oportunidade.

Mal a mensagem estourou na Lista pipocaram as reclamações:

"Tem como não vir esse tipo de coisa?"

"Olha, cara, nós somos liberais. Se isso fosse na Lista de Linux da Unicamp você já teria levado um unsubscribe do moderador..."

... E por aí afora. Decidi não mais atachar imagens às mensagens, mas aquilo me incentivou. Disse comigo mesmo: vou fazer um site de informática e colocarei lá todas as imagens que eu achar que mereçam ser publicadas, por um motivo ou por outro. E assim fiz. Foi assim que construí um site que hoje tem cerca de sete mil páginas e é um sucesso comercial, tendo me tornado dono do meu nariz. Esse site pode ser visitado em: http://macarlo.com/

... E até hoje agradeço aos participantes daquela Lista que rechaçaram minha pequena imagem. Se não fosse por eles eu ainda seria um obscuro programador, ralando em cima de um compilador para faturar alguns níqueis com os quais pudesse comprar comida. Graças àquelas mensagens adquiri completa autonomia dentro da sociedade de consumo e posso comprar praticamente tudo que quiser, desde obras de arte e livros raros aos mais sofisticados equipamentos tecnológicos.

Mas o mais interessante é que agora que posso fazer essas compras simplesmente não as faço, a não ser por extrema necessidade ou para ajudar alguém, pois posses materiais nada mais significam para mim. E somente agora é que posso dar o devido valor às pedras que foram colocadas em meu caminho, porque sem elas eu não teria conseguido nada. É importante, muito importante mesmo, que se consiga alguma coisa, pois somente através da realização é que se obtém a libertação do ego dessa autêntica prisão que é a necessidade compulsiva de realizar.

Obrigado pedras, muito obrigado!

NOTAS:

(*) o Frater Velado é Abade da Ordo Svmmvm Bonvm Para o Terceiro Mundo.
http://svmmvmbonvm.org/

Este artigo está online em:
http://macarlo.com/rosacruzrj3/pedras.htm