A Conquista da Ignorância
Fonte da fotografia:
LEWIS, Ralph M.
Símbolos Antigos e Sagrados.
RJ: Renes, 1979, p. 111.

 

 

Rodolfo Domenico Pizzinga

gnorância: estado de alguém que ignora.2

Estado daquele que não tem cultura ou conhecimento.3

Ignorante é quem não faz a hora, chora e implora.

 

gnorante é também quem vive sem Viver4

E existe em permanente desajustamento.

Ignorar é mais ou menos como enxergar sem Ver.5

é escapar da finitude e do sofrimento

Através do conhecimento...6

Misticamente, pode-se entender a Salvação

Como o Trabalho Místico para escapar da sombração.7

 

quele que luta e vence suas perplexidades,

Volúpias, inquietações, sovinices e vaidades

Está apto para entender qual é a finalidade da vida

E Nascer para a   8

________

 

______

Notas

1. Este soneto foi inspirado no ensaio O Mestre Cósmico (Exposição da Ascensão da Consciência) de autoria do S+B Illumitatus, FRC e 7 PhD Frater Vicente Velado e que pode ser lido no endereço abaixo. Na abertura do Documento há um flash-quadro produzido pelo Frater Velado do Mestre H-B-L intitulado Master H-B-L. Link direto:

http://svmmvmbonvm.org/MESTRECosmico.pdf

2. Sem saber que ignora, na verdade, achando ignorantemente que sabe tudo. Esse tipo de pessoa sempre tem uma resposta pronta na ponta da língua para qualquer coisa, geralmente inventando na hora uma explicação completamente absurda para simplesmante dar a sua opinião. E fica irritadíssima se alguém contradiz ou interrompe sua falação. Resumo: grulha.

3. Em termos místicos, cultura e conhecimento terrenos são inteiramente relativos. Harvey Spencer Lewis era PhD; já Jacob Boheme era fazedor de sapatos, mas reconhecido como o príncipe dos filósofos.

4. Viver misticamente.

5. Ver misticamente.

6. Citação contida no ensaio supracitado na nota 1.

7. No sentido de ignoração. Upa-ni-shad => do sânscrito, Upa = (perto), ni (embaixo) e shad (sentar) => conquista da ignorância através do conhecimento místico-espiritual.

8. Os místicos (e os religiosos) da Nova Era precisam dar um salto de qualidade (dar simbolicamente, no mínimo, um quarto de volta no parafuso) e reformular ou, da forma como geralmente é entendida, deixar de lado a idéia-conceito-Lei (em um certo sentido também salvífica da forma como costuma ser interpretada) de reencarnação. Ou será que iremos reencarnar e pensamos em reencarnar para o resto da nossa existência? O fato concretíssimo é que ou vencemos ou seremos devorados. Com reencarnação ou sem reencarnação. Agora, isso não pode ser explicado por ninguém a alguém em todas as suas conseqüências, e só pode ser entendido quando a fé religiosa (maquilada ou não) e a razão acachapante (científica ou filosófica) forem ultrapassadas. Ouso afirmar que, religiosamente, a reencarnação da forma como normalmente é entendida e o inexistente purgatório são equivalentes. A idéia de que o Karma seja punitivo é que gera esse descompasso. Ponto final.

 


A META

 

 

Música de fundo:
Hora

Fonte:
http://www.wps.pwp.blueyonder.co.uk/toc.htm