Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Karma

Fonte: http://torgo.978.org/~jw/midi/Beatles_and_solo/_John/?D=A

 

 

 

 

 

s homens sempre sofreram suas dores

Individual e coletivamente.

Mas, os séculos passam e se renovam...

E muitas lições não são aprendidas!

 

 

ntes eram espadas e alabardas;

Depois vieram as espingardas.

Hoje são bombas, canhões e tanques

Explodindo e metralhando sem parar.

 

 

manhã serão armas piores

E muito mais poderosas1

Que sustentarão o poder

Em suas maquinações escabrosas.

 

 

 

 

homem morre e vive diariamente,

Só que disso não se dá conta;

Apenas pensa que ainda vivo está,

Quando muitas vezes morto está.

 

 

maldade é irmã da morte

Que desintegrará o matador.

Não haverá perdão2 ou sorte

E será muito triste a sua dor.

 

 

 

 

odemos escolher o caminho:

Dor, Amor ou Compreensão.

Mas, escapar desse aprendizado

Está fora de qualquer cogitação.

 

 

 

 

Karma é uma Lei amorosa

Que tenta ensinar veras lições.

Por ele serão transmutadas as pedras

De que são feitos muitos corações.

 

 

u rogo por paz e compreensão

E choro pelos Satchmos que morreram.

New Orleans... New Orleans...

Será que vocês compreenderam?

 

 

que poderá valer a pena

Se a alma é egoísta e tão pequena?3

Contudo, talvez ainda haja tempo

Para evitar um novo contratempo!

 

 

 

 

as as dores só terão término

Com o advento da fraternidade

E quando o homem compreender

Que o Universo é uma Unidade.

 

 

Unidade

 

az aos que sofrem

E aos que são vítimas do poder.

Paz aos senhores do establishment

Que por maldade fazem sofrer.4

 

 

az e reintegração a tudo;

Paz e compreensão a todos.

Paz ao cego, paz ao surdo e paz ao mudo.

Somos Um. Tudo e todos!

 

 

 

________

Notas

1. Aliás, essas armas já existem, só que ainda não foram utilizadas. As bombas nucleares que arrasaram Hiroshima e Nagazaki são, de certa forma e comparativamente, menos impactantes do que certos artefatos bélicos que a maldade humana já pariu.

2. O Cósmico não premia nem pune, como também não perdoa. Para escapar da desintegração só há um caminho — um único caminho: o sincero arrependimento e o firme propósito de não cometer os erros do passado.

3. Novamente uso aqui um pensamento de Fernando pessoa.

4. Por maldade e por ignorância.

 

 

 

CONVITE PARA VISITAR

 

 

 

 

 

 

 

Fonte do fractal da qual colhi a fotografia para preparar a animação Unidade:

http://home.att.net/~Fractals_3/FotD_04-12-06.html

 

 

DEDICATÓRIA

 

Este poema é dedicado aos irmãos de Louis Satchmo Armstrong, que são meus também. Os detentores dos direitos autorais das fotos que utilizei para elaborar as animações são co-autores neste trabalho.