A URVA NA ESTRADA

Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Born Free
(Don Black & John Barry)

Fonte: http://loydancer.topcities.com/easy_listening_midis.htm

 

 

 

 

 

Um homem triste caminhava por uma estrada

Quando, de repente, apareceu uma curva.

Então, ele viu um demônio grunhindo na curva da estrada

— Olhos injetados, babando, o corpo em recurva.

 

 

O homem se assustou e todo o seu corpo tremeu.

Quis correr, mas não conseguiu. Estava paralisado.

Um calafrio todo o seu ser percorreu...

E, na estrada, caiu desmaiado.

 

 

Irado e babando, o demônio se aproximou

E sacudiu violentamente o homem.

Aterrorizado, o homem despertou.

 

 

E, inda tonto do que houvera, a cabeça em maresia,1

Percebeu, então, aquele pobre homem,

Que ele mesmo era o demônio que grunhia.

 

 

 

______

Nota

1. Mas, isto pode ser diferente! Deve ser diferente!

 

 

 

 

Em Eros e Psique, publicado em Maio de 1934, escreveu Fernando Pessoa:

E, inda tonto do que houvera,

À cabeça, em maresia,

Ergue a mão, e encontra hera,

E vê que ele mesmo era

A Princesa que dormia.

 

Sleeping Man for the Sleeping Princess
Laura Lengyel 2004

http://www.lauralengyel.com
/html/current2_1.html