CALCULANDO...    

 

 

Rodolfo Domenico Pizzinga

Música de fundo: Love is All (Roxette)
Fonte:
http://www.fortunecity.com/lavender/trousers/150/midi.htm

 

 

Por isso, temos que refletir muito... E, sinceramente, sem paixão, tendenciosidade, medo ou preconceito. Conforme afirma Paulo Duboc, o estudo dos ciclos planetários é metafísico, cabalístico, astrológico, psico-simbólico e, necessariamente, religioso. Eu entendo de outra forma. Pelo menos, não é apenas, particularmente ou principalmente essas coisas que afirma Duboc. E religioso é que não é mesmo, porque, se assim for feito, estará eivado de dogmas, de preconceitos, de autoritarismos e de bobagens imaginosas. É, sobretudo, místico-metafísico, e, sendo primigenamente místico, será imparcial e categórico. Mas, Duboc está correto quando diz que 25.920 anos é conhecido como o Grande Ano de Platão, isto é: 12 x 2.160 anos (2.160 pode ser entendido como um ciclo formado por um triângulo eqüilátero cujos lados são constituídos de 720 anos cada um).

 

 

Na verdade, este Grande Ciclo, um dentre muitos outros, é obtido multiplicando-se 18 x 60 x 24, ou 72 x 360 (que pode ser entendido como 180 + 180), considerando-se, por correspondência (haverá?) que um ser humano normal, com saúde e harmonizado consigo, com os outros e com o Todo Universal (no estado de vigília) pratica 18 respirações por minuto, sendo sua pulsação de 72 vezes no mesmo intervalo de tempo. Em 24 horas respirará 25.920 vezes e seu coração deverá bater 103.680 vezes.

Agora, o dia 5 de Fevereiro de 1962 não está ligado nem à data do nascimento de Jesus, o Cristo, nem ao nascimento temido de um presumido anticristo e nem a catástrofes naturais, como de fato não ocorreram naquela data. O que se pode aceitar é que, naquele dia, houve a transição simbólica (anunciada) da Era de Pisces para a Era de Aquarius, porque houve um alinhamento especial (conjunção planetária) dos Planetas dos Antigos (Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno — esta é a ordem de afastamento dos planetas da Terra segundo o sistema aristotélico) em um ângulo de 16 graus — todos reunidos no Signo de Aquarius o que não significa que, naquela data, em aditamento ao que afirmei acima, tenha vindo à Terra qualquer Messias. Conforme já sustentei em ensaio anterior, acredito que esta data é a mais concernente com a Tradição para a mudança da Era de Pisces para a Era de Aquarius, desde sempre idêntica a si mesma, como costuma afirmar Raymond Bernard, e representa mais uma fronteira do que um ponto específico em si. De qualquer forma, também acompanho seu pensamento quando enfatiza e insiste que o interesse primordial de qualquer místico sincero é sua evolução/reintegração interior. Tudo o mais é especulação. As especulações, sem dúvida, são úteis, mas, substantivamente, serão sempre especulações. Então, o que resulta de tudo isso? Mudança, sim; atrição, sem dúvida; elevação na Spira Legis, um fato incontestável. Mas, o que muitos de nós precisamos, em última instância, é de tomar vergonha na fuça. Com vergonha na fuça, vou especular um pouquinho.

 

 

1962 = 1 + 9 + 6 + 2 = 18

18 = 1 + 8 = 9

6 x 12 = 72

72 = 7 + 2 = 9

1962 + 72 = 2034

2034 = 2 + 0 + 3 + 4 = 9

 

 

Mas...

de 2034 tem-se:

2 = 1 + 2 = 3

3 = 1 + 2 + 3 = 6

4 = 1 + 2 + 3 + 4 = 10

3 + 6 + 10 = 19

19 = 1 + 9 = 10

10 = 1 + 0 = 1

 

 

Obsevação: As animações das figuras geométricas foram retiradas do Website:

http://www.ul.ie/~cahird/polyhedronmode/decagon.htm

 

Agora, examine a Tetractys abaixo:

 

 

___________

 

 

Por que tanta discórdia?

Por que tanto tormento?

Ou aprendemos a viver em concórdia,

Ou não diminuirá nosso sofrimento.

 

 

Como vem sendo anunciado,

Virá o  

Perdido, infeliz e desgraçado

Aquele que tiver fel no coração!

 

 

Quem deixar para a última hora

E não começar a mudar agora,

-------------------------------------------- !!!

 

 

Ilusões e charlatanices

Não são meras criancices.

Decisão! Reorientação! Transmutação!

 

 

 

 

* * * * * * *

 

Mais uma vez mostro (e aproveito para agradecer à amiga que teve a bondade de me enviar) a beleza do nosso Planeta. A Terra não se cansa de nos dar lições de Amor, de Bem e de Beleza. Por que não aprendemos? Mas será o Bennedykttho? Clique AQUI e confira se não é verdade.

 

 

A prendemos  o  bem  e  o  conhecemos,  mas  não  o  praticamos  por  doença  ou  por  preferirmos  o  prazer.       (Eurípedes,  485? - 406?  a. C).

Websites Consultados

http://www.cybersciences.com/cyber/4.0/avril98/terre.asp

http://www.rahul.net/raithel/otfw/number.html

http://www.constelar.com.br/revista/edicao78/nascimentocristo1.php

http://pss.fit.edu/phys_list.html

http://www.ul.ie/~cahird/polyhedronmode/equilate.htm

http://www.ul.ie/~cahird/polyhedronmode/decagon.htm